27 de nov de 2013

[Resenha] Legend

Editora: Prumo
Autora: Marie Lu
Número de páginas: 255
Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos.
Nota: 


Quando meu Legend chegou, confesso que fiquei desapontada com a Submarino, porque ele veio molhado-seco. Sabe quando um livro é molhado e, quando seca, fica cheio de ondulações e meio duro? Foi assim que ele chegou. Mas o livro é bom demais.

No futuro, após catástrofes naturais, a antiga Costa Oeste dos Estados Unidos virou, agora, a República da América, que vive em constante guerra com as Colônias. Os capítulos intercalam Day e June, ambos de quinze anos e muito inteligentes. June Iparis, é a garota prodígio da República, faz parte de uma família de elite e é bem determinada. Quando seu irmão Metias é assassinado, June já tem seu suspeito número um, Day, o criminoso mais procurado pela República.

Day veio de uma família pobre, das favelas do setor Lake. Ele é rápido, cuidadoso, habilidoso e também charmoso. Day já cometeu vários crimes, porém nunca foi pego pela República. Day é um dos personagens mais cativantes.

Em um determinado ponto, as histórias deles se cruzam e é aí que as coisas ficam interessantes. Algumas verdades são reveladas. Outra coisa que tenho que citar, é que as crianças da República, quando completam 10 anos, são obrigadas a realizar uma Prova. Há um número mínimo de pontos, e as crianças que reprovam são mandadas para campos de trabalho.

O livro é cheio de ação e um tantinho de romance. June e Day são bem maduros, às vezes eu esquecia que eles eram apenas adolescentes. Adoro essa capa com o símbolo da República, é super a cara do livro. Ele é dividido em duas partes, as páginas são amareladas (sei que vocês adoram) e a fonte é pequena, mas não me incomodou.

O segundo livro já foi lançado no Brasil e se chama Prodigy. Mal posso esperar para ler! Na ilustração abaixo (achada no site Deviantart) June aparece em seu uniforme militar.

20 de nov de 2013

[Clica no play] Who we are - Imagine Dragons

Se você é tributo, assim como eu, provavelmente deve saber que a banda Imagine Dragons fez uma música para a trilha sonora de Em Chamas. Eu gosto muito de Imagine Dragons e thg é a minha trilogia favorita, curti muito Who we are e trouxe a música aqui para vocês ^~^. Acho que foi a minha música favorita da trilha sonora.

 

2 de nov de 2013

[Resenha] The Maze Runner: Correr ou morrer

Editora: Vergara & Riba
Autor: James Dashner
Número de páginas: 426
Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador.
Nota: 

O livro é narrado em 3ª pessoa e começa quando Thomas chega à Clareira em um elevador, onde vários garotos o recebem. O início é um pouco confuso porque Thomas sabe tanto quanto nós, leitores, ou seja, nada. Quando ele é recebido, Thomas fica atordoado, com medo e mega confuso, não sabe de nada além de seu nome.

Com o tempo, seus novos companheiros explicam aos poucos onde ele está e outras poucas informações que eles sabem. Thomas e os Clareanos (os garotos que moram na Clareira) estão em um labirinto que nunca foi solucionado. Calma, deixa eu explicar! Eles moram em uma área cercada por muros que  se movem todos os dias, e esses são os muros do labirinto. Nenhum garoto nunca conseguiu sair de lá e os Clareanos mais antigos estão presos há dois anos. Uma vez por mês um novo garoto chega ao Labirinto e o pobre infeliz da vez é Thomas.